Cirurgia do Esofago

Diverticulectomia

Retirada de divertículos ou saculações que se formam desde o início do esôfago, ainda no faringe (divertículo de Zencker) ou no meio do tórax, acima do diafragma ou no esôfago abdominal.

Esofagostomia

Abertura de um orifício no esôfago para retirar secreções ou para administrar alimentos ou medicamentos através de uma sonda. É habitualmente feita na região cervical (pescoço).

Esofagectomia

Retirada do esôfago devido doenças locais como o câncer, estenoses irrecuperáveis (estreitamentos) ou outras lesões. Pode ser parcial ou total e daí o esôfago poderá ser substituído por estômago ou intestino delgado ou grosso dependendo da extensão e altura das anastomoses (emendas) .A esofagectomia pode ser feita pelo abdome e região cervical (pescoço) ou pela abertura também do próprio tórax.

Esofagoplastia

Plástica do esôfago, como o nome sugere. Pode ser o procedimento depois da retirada parcial ou total do esôfago como descrito no item anterior ou sem tirar o esôfago através de incisões e suturas ( cortes e costuras) Pode ser usada após tratamento de doenças como o câncer, estenoses, megaesôfago, traumatismos, etc.

Polipectomia

É a retirada de pólipos deste segmento do tubo digestivo Normalmente é feita por endoscopia, mas, em situações especiais é feita no ato cirúrgico

Biópsia

É a retirada de um fragmento deste local do aparelho digestivo com a finalidade de ser examinado no laboratório e permitir que se faça o diagnóstico da doença em questão