O que é depressão?

É preciso diferenciar a depressão da tristeza, uma vez que este sentimento faz parte da natureza humana. A depressão é um transtorno do humor e não uma doença mental no sentido comum da palavra.

Existem critérios internacionais para o diagnóstico preciso da depressão.

Como diagnosticar a depressão?

Tem-se a falsa idéia de que o indivíduo deprimido é somente aquele que se apresenta choroso, emagrecido e sem ânimo.

O DSM IV, manual que descreve e classifica os transtornos mentais, exige que cinco ou mais dos seguintes sintomas se apresentem durante o período de 2 semanas, incluindo sempre o humor deprimido ou a perda de interesse ou prazer:

  • Humor deprimido na maior parte do dia (em crianças e adolescentes pode ser humor irritável).
  • Prazer e interesse diminuídos por qualquer atividade na maior parte do dia.
  • perda ou ganho de peso sem estar de dieta, com diminuição ou aumento significativo do apetite.
  • Insônia ou excesso de sono quase todos os dias.
  • Agitação ou retardo psicomotor (Inquietação ou lentidão)
  • fadiga ou perda de energia quase todos os dias.
  • Sentimento de inutilidade ou culpa excessiva ou inadequada quase todos os dias.
  • Dificuldade de concentração e capacidade diminuída de pensar; ou indecisão quase todos os dias.
  • Pensamentos de morte recorrentes, idéia de suicídio com ou sem plano específico para cometer suicídio.

Existem outros sinais que podem indicar depressão?

Sim. Dores crônicas; dores tipo enxaqueca; dores na coluna e fadigas persistentes podem ser os únicos sintomas mais claramente percebidos. Neste caso a depressão é comumente chamada de "mascarada".

O que é Distimia?

É um tipo de transtorno depressivo crônico que tem a duração de pelo menos 2 anos em adultos e 1 ano em crianças.

Dois ou mais sintomas dentre os seguintes fazem parte do Transtorno Distímico

- apetite para mais ou para menos

- sono excessivo ou insônia

- baixa energia ou fadiga

- baixa auto-estima

- fraca concentraçãoou dificuldade em tomar decisões

Como a Psicoterapia pode agir sobre a depressão?

  1. Acolhendo o indivíduo em sua dor e angústia sem julgá-lo ou cobrar dele uma atitude que não pode ter naquele momento
  2. Esclarecendo o que é uma depressão e destacando a necessidade de acompanhamento psicoterápico.
  3. Avaliando os preconceitos em relação à terapia medicamentosa estimulando o engajamento do paciente nesse tipo de tratamento quando necessário.
  4. Investigando que condutas do próprio indivíduo favorecem o surgimento de sintomas depressivos
  5. Trabalhando na percepção de aspectos inconscientes que se manifestam através dos sintomas depressivos, entendendo a depressão como um modo de expressão de ser.

Como funciona a Psicoterapia?

Existem várias linhas teóricas que determinam o modo que a psicoterapia se conduz, mas todas são unânimes na importância do vínculo com a figura do terapeuta. Em geral a frequência é de 1vez por semana no mínimo, com horário fixo. O ponto principal para o sucesso terapêutico, é o desejo mútuo de transformação, mesmo que hajam resistências naturais ao processo.

Qual o melhor tratamento para a Depressão, Psicoterapia ou medicação?

A associação de ambos os tratamentos sem dúvida garantem maior probabilidade de melhora dos sintomas da depressão. Um método não exclui o outro; e a medicação é um aliado que dá condições para que o indivíduo se engaje em sua psicoterapia .

Em plena crise muitas vezes não há possibilidade de reflexão ou mesmo de que o indivíduo compareça às sessões. Enquanto a medicação atua na suspenção dos sintomas a psicoterapia busca o sentido da depressão na existência do indivíduo e sua repercussão sobre a vida da pessoa